encerau

3. A língua

Compartilhar é prova de amor

3. A língua

As denominações de falas ou de fala são relativametne recentes, já que estas aparecem durante transcurso do século passado com os primentos estudos específicos levados a cabo sobre este facto linguístico.

Consideramos que esta denominação se consolidou definitivamente porque os falantes, quando somos perguntados sobre a nossa peculiar forma de falar, dizemos que “assim falamos de sempre” e principalmente porque é de facto fundamentalmente de forma falada como se tem vindo a transmitir esta língua; daí a unanimidade para a nomear.

As pessoas de maior idade, sobretudo um considerável número de falantes de Valverde do Fresno, ainda dizem que falamos chapurraeo, chaupurrao, chapurriau ou chapurrau, inclusivamente alguma vez se tem registado nesta mesma vila o termo cachipurrau.

Os meios de comunicação e a facilidade atual de aceder à informação tem procurado que tenha recuado aquele primeiro nome depreciativo, face a este novo de fala. Esta denominação alcançou tal popularidade que a própria Comunidade Autónoma de Extremadura declarou “A Fala” Bem de Interesse Cultural no ano 2001.

ÍNDICE Texto do trabalho do Grupo Xálima: A FALA DE XÁLIMA: VALVERDEIRU, LAGARTEIRU, MANHEGU. UN TESORO LUSO EXTREMEÑO. Publicado na edição 87 do caderno do Seminário de Estudos Cacerenhos.                                                                       “alcántara.” Quinta temporada. Janeiro-Junho de 2018.

Grupo Xálima

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *